PUBLICIDADE

Topo

Histórico

Categorias

Estresse aumenta em quase 70% em dezembro, veja dicas para controlá-lo

Fernando Gomes

06/12/2019 04h00

Crédito: iStock

A ansiedade, angústia, alterações de humor, insônia ou sono em excesso, dores musculares constantes e fadiga são alguns dos sintomas que sinalizam o 'burnout de final de ano'

Uma pesquisa americana revelou que o estresse dessa época do ano se deve ao tempo que as pessoas se dedicam às compras de presentes e ao preparo das festas sem poder deixar de lado o tempo que devem se dedicar à cumprir as exigências das metas necessárias para encerrar o ciclo anual no trabalho e nos estudos.

E por aqui o cenário não é diferente. As cobranças internas e externas as quais os brasileiros sofrem também são motivos do aumento das doenças mentais durante o mês de dezembro. E isso não é à toa.

O final de ano simboliza encerramento, conclusão, fim de um ciclo e início de outro, o que leva às reflexões, retrospectivas e avaliações. Todas essas auto-avaliações muitas vezes podem ser rígidas para algumas pessoas e a auto-cobrança daquilo que elas ainda não realizaram durante o ano, podem resultar em melancolia, tristeza, ansiedade e frustração –uma enorme porta aberta para o estresse.

A explicação é fisiológica: sob um elevado grau de exaustão, o organismo passa a produzir uma alta concentração do hormônio cortisol, que em excesso produz efeitos negativos para a saúde e deixa o indivíduo ainda mais irritado. Desta forma, o desempenho e a atenção ficam comprometidos e então, as dificuldades para cumprir as metas acabam tomando o lugar do intelecto e os fatores exaustivos impedem o cumprimento de tarefas. É uma verdadeira bola de neve que nem mesmo o papai Noel é capaz de deter.

Mas, calma lá! Se alguns desses sintomas (ou todos) já passaram aí por você, vale lembrar que para maioria das pessoas esses sentimentos são transitórios e pontuais. Mas mesmo assim, é preciso se cuidar, já que essa avalanche de sentimentos ruins pode ter um grande impacto no futuro (no ano que vai nascer), porque nessa época as emoções estão mais afloradas e tudo acaba sendo mais potencializado.

Essa elevada exigência e o número maior de responsabilidades e compromissos podem causar ansiedade e levar a padrões comportamentais compulsivos que aumentam ainda mais o descontrole. Portanto, o reconhecimento das próprias emoções, incluindo qualquer forma de desconforto ou sofrimento, refletirá equilíbrio e bem-estar mais necessário para passar por este mês. Isso é inteligência emocional colocada em prática.

É preciso organização para lidar com a agenda corrida e cumprir tudo o que falta antes do ano de fato acabar. Daí então, dá para sair de vez desse ano com a sensação de dever cumprido: isso sim, elimina qualquer grau de estresse.

Neurodicas:

  • Não se cobre tanto, o ano que vem já está logo aí para você continuar seguindo com os seus planos que ainda não se concretizaram em 2019;
  • Adiante ao máximo as suas tarefas para não gerar acúmulos;
  • Delegue atividades que podem ser executadas por outras pessoas;
  • Diga não para compromissos que você não pode ou não quer ir. E não se cobre por isso;
  • Tire um tempo para você e se coloque sempre em primeiro lugar;
  • Crie um ambiente de quarto projetado para impedir que você perca o precioso tempo que reservou para dormir.
Referência:
https://www.swnsdigital.com/2018/11/holiday-burnout-is-a-real-thing-study-finds/

Sobre o Autor

Fernando Gomes é neurocirurgião e neurocientista, graduado em medicina pela FMUSP (Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo). Concluiu Residência Médica em neurologia e neurocirurgia no HC (Hospital das Clínicas) da FMUSP e possui título de especialista em neurocirurgia pela SBN (Sociedade Brasileira de Neurocirurgia). É pós-graduado em neurocirurgia pediátrica pela World Federation of Neurosurgical Societies, doutor em neurotraumatologia experimental pela FMUSP e professor livre-docente pela disciplina de neurocirurgia da FMUSP. Autor de 8 livros ligados à medicina e ao comportamento humano, consultor e apresentador do quadro “E agora, doutor?” do programa “Aqui na Band” da Rede Bandeirantes de Televisão.

Sobre o Blog

Com temas ligados a medicina e a neurociência, esse espaço é dedicado a viajar pelo cérebro humano e desvendar os mistérios da mente. Com explicações simples e embasadas cientificamente, por aqui é possível passear pela maior e mais poderosa máquina que mora dentro da cabeça de todos os seres humanos. E, ao desvendar os aspectos físicos e comportamentais das habilidades, emoções e necessidades do comportamento humano fica mais fácil aplicar técnicas e novos hábitos para que rotina seja leve, saudável e prazerosa e turbinada em todos os aspectos.

Fernando Gomes